capa
Facebook cria ferramenta de checagem de fatos para fotos e vídeos
São Paulo, 14 de Setembro de 2018 ás 11h01

As famosas fake news têm muito palco nas redes sociais. Links para sites maliciosos que distorcem fatos e inventam mentiras são algo constantemente encontrado na timeline do Facebook. Já há, porém, uma opção de denunciar notícias falsas na plataforma. O Facebook tem se movimentado para proteger seus usuários de notícias falsas, o que já acarretou no banimento de páginas que produziam fake news. No Brasil, a Revoltados Online foi uma dessas. Mais recentemente, a InfoWars e seu dono, Alex Jones, também foram permanentemente banidos por criarem teorias conspiratórias e notícias falsas.
 
Agora, a empresa de Mark Zuckerberg está dando um passo além na guerra contra a propagação de mentiras. As fake news postadas em imagens e vídeos poderão ser denunciadas por parceiros de checagem de fatos do Facebook em 17 países diferentes. A novidade, que foi reportada pelo Engadget, faz parte de um projeto de aprendizado de máquina. Os parceiros que denunciarem as fake news estarão ajudando um sistema de inteligência artificial a ter banco de dados suficiente para, em breve, poder detectar automaticamente as notícias falsas inseridas em áudios e imagens postados na plataforma.
 
“Muitos de nossos parceiros de verificação de fatos têm experiência em avaliar fotos e vídeos e são treinados em técnicas de verificação visual, como pesquisa de imagem inversa e análise de metadados de imagens, como quando e onde a foto ou o vídeo foi capturado”, afirmou a gerente de produto do Facebook. Antonia Woodford. “À medida que recebemos mais avaliações de verificadores de fatos em fotos e vídeos, poderemos melhorar a precisão de nosso modelo de aprendizado de máquina.”
 
Para ajudar os checadores de fatos, o Facebook está desenvolvendo ferramentas tecnológicas que auxiliem no trabalho. “Usamos o reconhecimento óptico de caracteres (OCR) para extrair texto das fotos e comparar esse texto com as manchetes dos artigos de verificadores de fatos. Também estamos trabalhando em novas formas de detectar se uma foto ou vídeo foi manipulado ”, completou Woodford, referindo-se aos DeepFakes, programas que usam software de edição de vídeo para fazer com que alguém pareça dizer ou fazer algo que não fez.



Brainstorm9 (13/09/2018)



Comentários

    Atenção para o vencimento: 31 de janeiro
    

  Cadastre-se e receba nossa
  newsletter mensal




Filiado à

Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de São Paulo - Av. Brigadeiro Faria Lima, 1656 2°andar - Conjunto 21 - Jardim Paulistano
CEP 01451-001 - São Paulo - SP - Telefone: 11 3035-0099 - atendimento@sinaprosp.org.br

Todos os direitos reservados – Sinapro-SP – Desenvolvido por Dainet