Sinapro - Folha não vai mais publicar seu conteúdo no Facebook
 
capa
Folha não vai mais publicar seu conteúdo no Facebook
São Paulo, 08 de Fevereiro de 2018 ás 11h32

Logo nos primeiros dias do ano o Facebook anunciou a sua decisão de priorizar postagens de interação social em detrimento do conteúdo de marcas e veículos de comunicação. A iniciativa gerou o descontentamento de diversas empresas, sobretudo aquelas que trabalham produzindo jornalismo. Em razão disso, na madrugada de hoje (8) o site da Folha de S.Paulo, um dos jornais mais tradicionais do País, anunciou que deixará de publicar as suas notícias na rede social de Mark Zuckerberg.

Para o veículo, a configuração atual de algoritmos do Facebook “reforça a tendência do usuário a consumir cada vez mais conteúdo com o qual tem afinidade, favorecendo a criação de bolhas de opiniões e convicções, e a propagação das fake news”. Por meio de um comunicado, a Folha disse também que “com a queda do alcance das páginas, o Facebook perde espaço como fonte de acesso a sites de jornalismo”.

Vale lembrar que o jornal tem 5,95 milhões de seguidores na rede social.

Ainda não se sabe qual impacto isso deve gerar nas tomadas de decisão do Facebook para os próximos meses, e nem se a iniciativa da Folha incentivará a debandada de grandes veículos da plataforma. Entretanto, o que é certo é o descontentamento de empresas que produzem conteúdo com a rede social. E isso não é uma exclusividade brasileira.

Pagar ou receber por notícias?

Há poucos dias Rupert Murdoch, dono da News Corporation, um dos maiores grupos midiáticos do mundo (The Wall Street Journal e a Fox News), também fez duras críticas a este novo cenário. “Se o Facebook quer reconhecer os veículos mais confiáveis, deveria pagar a esses veículos uma taxa semelhante à que as companhias da TV a cabo pagam para ter os canais na sua grade”, disse Murdoch.

Segundo o argumento do magnata da comunicação, há uma clara inversão de valores na relação entre a rede social e os veículos, que segundo a sua visão, deveriam receber algo ao invés de pagar para exibir notícias. “Os publishers estão claramente melhorando o valor e a integridade do Facebook por meio de suas notícias e seu conteúdo, mas não estão sendo recompensados de forma adequada por esses serviços”.  

Crise de imagem?

Além das críticas da News Corporation e a saída da Folha, quem também decidiu abandonar a plataforma nesta semana e vender suas ações, além de estimular o público a fazer o mesmo, foi o ator Jim Carrey (veja o que ele falou). Para o Facebook, desde a explosão dos debates sobre fakenews, e agora mais recentemente a mudança dos algoritmos, não tem sido fácil administrar a imagem da rede social. Vale a pena acompanhar como a empresa de Mark Zuckerberg vai responder a este novo momento, seja por meio de comunicados ou novas decisões que digam respeito a experiência dos usuários.



Adnews (08/02/2018)



Comentários

    Atenção para o vencimento: 31 de janeiro
    

  Cadastre-se e receba nossa
  newsletter mensal




Filiado à

Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de São Paulo - Av. Brigadeiro Faria Lima, 1656 2°andar - Conjunto 21 - Jardim Paulistano
CEP 01451-001 - São Paulo - SP - Telefone: 11 3035-0099 - atendimento@sinaprosp.org.br

Todos os direitos reservados – Sinapro-SP – Desenvolvido por Dainet